Evento debateu a participação da mulher no setor privado, público e no terceiro setor

 

fm186235

 

 

Aconteceu nesta segunda-feira, 7/3, na Assembleia Legislativa, o seminário Protagonismo Feminino: Desafios e Conquistas, realizado pela ONG Gente Urbana com o apoio do deputado Celino Cardoso (PSDB).

O objetivo do evento foi debater a participação da mulher no setor privado, público e no terceiro setor. Na mesa de abertura, o deputado Celino ressaltou a importância de debates como esse na medida em que ainda existem muitas injustiças que as mulheres enfrentam e contra as quais é preciso lutar.

Aline Cardoso, do Gente Urbana, observou que há problemas camuflados na sociedade contra a mulher. Explicou que o trabalho da instituição é voltado ao protagonismo e ao empoderamento da mulher, para que suas dificuldades venham à tona e possam ser combatidas. A atuação tem se voltado especialmente às meninas do "nem nem" " aquelas que nem estudam e nem trabalham. Dos jovens nessa situação, acrescentou Aline, 70% são mulheres.

"Será que as mulheres que chegam a cargos de liderança abrem caminho para outras mulheres?" Com essa pergunta, a presidente do Conselho Estadual da Condição Feminina, Delegada Rose, abriu sua fala, observando que muitas vezes as mulheres líderes têm posturas ainda mais machistas e preconceituosas do que os homens. "Ainda temos que conversar muito com estas mulheres para lhes mostrar que sua função não é somente liderar, mas abrir caminho para outras mulheres", declarou a delegada, acrescentando que muitas vezes elas rechaçam as tentativas de conversar sobre o assunto, esquecendo-se de que chegaram lá pela luta de outras mulheres.

Setor privado

O primeiro painel do seminário versou sobre a participação das mulheres no setor privado. A moderadora, Cristiane Aché, e as palestrantes Ana Fontes, Lígia Sica e Grazielle Parenti, são executivas do setor privado. O tema tratado foi o espaço da mulher no mercado de trabalho, suas reais possibilidades de ascensão e as dificuldades e preconceitos pelos quais ainda passam.

No painel seguinte, sobre a participação das mulheres no setor público, a diretora executiva do Seade, Maria Helena Guimarães de Castro, trouxe alguns dados da Fundação Seade de 2015. De acordo com os números apresentados, a taxa de participação da mulher no mercado, em 2015, cresceu um pouco mais do que a participação dos homens. O rendimento médio da hora trabalhada da mulher, que era de 60% a 65% da média do rendimento dos homens, cresceu, na Grande São Paulo, para o patamar de 87% do rendimento dos homens. "São dados muito importantes", concluiu Maria Helena.

A deputada Célia Leão (PSDB) discorreu sobre a participação da mulher na política e exaltou a necessidade de que sua presença seja cada vez mais valorizada e incentivada. Enfatizou a importância de que a luta continue e, ao mesmo tempo, de que se reconheçam todos os avanços que já ocorreram por mérito das mulheres que as antecederam.

O último painel do evento tratou da participação da mulher no terceiro setor, com falas de mulheres ativistas especialmente nas redes sociais. O encerramento ficou a cargo da coordenadora estadual de Políticas para a Mulher, Albertina Duarte.

 

Fonte: http://www.al.sp.gov.br/noticia/?id=370337